Castela e Leão propõe a convocatória de quase 3.000 vagas para candidatos na oferta pública de emprego 2023

A proposta de oferta pública de emprego para 2023 inclui 2.970 vagas, sendo 2.676 vagas de nova entrada e de turno livre. Este número representa um aumento de mais de 9% em relação aos cargos deste tipo anunciados em 2022. Os restantes 294 cargos estão reservados para o turno de promoção interna na Administração Geral.

Entre os novos cargos que serão anunciados, 1.079 correspondem à Administração Geral, dos quais 582 são funcionários públicos e 497 são trabalhadores trabalhistas. Adicionalmente, está contemplada a convocatória para 870 cargos de pessoal estatutário em instituições de saúde (SACyL) e 727 cargos docentes (301 correspondentes ao corpo de Docentes e 426 aos restantes órgãos).

Nos processos seletivos, 10% do total de vagas autorizadas serão reservadas para acesso de pessoas com deficiência. Además, las plazas de las ofertas de empleo público para los años 2021 y 2022 que no se hubieran convocado podrán acumularse en la convocatoria de las plazas incluidas en la presente oferta para el acceso al mismo cuerpo, escala y, en su caso, especialidad o categoria profissional.

Com o objetivo de dar prioridade a setores como os de caráter beneficente, estão incluídos nesta lista 108 cargos para funcionários de saúde. Além disso, na Gestão dos Serviços Sociais estão incluídos 12 cargos para enfermeiros, 47 para técnicos de puericultura direta e 35 para técnicos de apoio à criança.

Da mesma forma, estão incluídos os seguintes cargos relacionados à proteção ambiental: 50 cargos para engenheiros técnicos florestais, 40 para agentes ambientais, 30 para guardas ambientais, 29 para operadores de centro de comando, 50 para vigilantes de incêndio e 40 para trabalhadores de montanha e extinção.

Rejuvenescimento do emprego público regional

Consciente do processo de envelhecimento gradual do quadro de funcionários públicos que se verifica em muitas administrações, o assessor da Presidência, Luis Miguel González Gago, valoriza esta oferta de emprego público como “uma oportunidade para promover o rejuvenescimento do quadro de pessoal do “Administração autônoma, perfeitamente compatível com os processos de estabilização de pessoal interino que estão sendo desenvolvidos atualmente”.

A chegada de novos funcionários públicos a esta Administração é uma prioridade deste Departamento, que tem competências regionais em matéria de Função Pública e, portanto, das convocatórias para o emprego público, da cobertura de cargos e da estrutura do regime.

Em Setembro, o conselheiro já antecipou a futura aprovação de um Plano de Gestão de Recursos Humanos, cujo um dos objectivos será preparar a Administração para enfrentar o desafio da mudança geracional. Manifestou também o seu compromisso em promover um acordo com as universidades públicas para promover o acesso ao emprego público e, com isso, conseguir reduzir a idade média da força de trabalho destes funcionários, que atualmente é superior a 52 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *